will fala sobre sua nova companhia de mídias com conteúdos infantis, a LidoKidos™

will.i.am cedeu uma entrevista à uma famosa revista americana de publicidade, a Adweek, onde fala do seu novo ‘empreendimento’, a LidoKidos™. Acompanhe:

Você criou uma nova companhia, a LidoKidos™, para produzir uma plataforma de mídias com conteúdo infantil. O que lhe inspirou?
Em 2009, nós lançamos o The E.N.D. e “Boom Boom Pow”. Eu estava no palco e percebi que tinha algumas crianças na plateia. Não que elas eram legais, mas, pense numa família, as pessoas de 20 anos provavelmente não querem gostar das coisas de crianças de 10 anos. “Boom Boom Pow” fez com que todos gostassem. Atualmente estamos usando dispositivos sofisticados. Crianças não querem celulares de brinquedo; eles querem o celular de verdade. Uma criança pega um tablet na mão e sabe exatamente o que fazer com isso. Eu pensei, por que tem que ser no “A, B, C, D, E, F, G… P de pônei!”. Por que temos que tratar crianças como idiotas? Quando se trata de conteúdo, nós ainda pensamos como nos anos 70.

E o propósito é…
Então, eu pensei, eu quero fazer música, conteúdo, produtos, onde eu preencha o vazio que vejo. Você quer combinar o jogo com o incentivo, diversão, educação e sonho. Quando você pensa em crianças, as crianças são legais. Eu tenho um sobrinho, ele tem 3 anos, e quando ele vê uma Ferrari, ele já sabe o que é. Eu quero fazer conteúdos que são educacionais. Ele vai saber o que faz uma Ferrari, o que é a versão verde da Ferrari. Eu não quero dizer que quero competir com a Vila Sésamo, mas eu quero competir junto.

Junte os pontos para mim: Você foi de uma carreira fenomenal na música até a área de atuação, a de design de roupas, e agora a de conteúdo para crianças. O que há de comum nisso tudo?
Preenchimento de vazios. Fazer música é um preenchimento de vazio. Você viaja ao mundo, escutando o que tem, vendo o que está faltando, e então, você já fez.

Já sabendo que tem tantas crianças que são suas fãs fazem você ter mais cuidado no que fala?
Eu tive que ver tudo o que eu faço e falei para minha mãe. Mas você tem que ser você mesmo. É mais engraçado que cantar músicas Kumbaya.

Você também é o consultor criativo da Intel. O que você faz pra eles?
Estou cantando e gravando com uma gravadora, e quando você para pra pensar nisso, não faz sentido algum. A Intel, na verdade, faz. Eu me orgulho em trabalhar com eles, trazendo novos conceitos. Como, “Hey, eu acho que há uma tendência que deve você pensar em pôr alguns chips nisso.” E a única maneira de você saber é viajando. Ir para Singapura, China, Áustria. Não são coisas que estão fora daqui. Estão aqui, mas não estão acontecendo. Eles levam minhas consultas à sério.

Com todos estes outros empreendimentos, como você encontra tempo para música?
Música é uma segunda natureza para mim. É respiração. Eu não poderia parar, mesmo se quisesse. Me estudei até o ponto de saber em que ambiente devo estar para que me estimule a fazer música mais rápido. É em viagens, indo em conferências, clubes, fazendo filantropia.

Tem algum dispositivo digital ou aplicativo que você não consegue viver sem?
Eu gosto do Instagram. Instragram é maneiro de verdade. Vamos imaginar que estamos em 2008. Em 2008, a Polaroid esteve na CES e estavam falando sobre sua nova câmera digital. Eu me lembro, eu estava lá. “Confiram a nossa nova câmera digital”. E a Kodak ficou imaginando o que eles estavam fazendo. Então algumas crianças disseram, “Ey cara, nós vamos começar a fazer um aplicativo. E esses filtros que estão no Photoshop, escolheremos os melhores e colocaremos no aplicativo. É, cara, nós faremos isso”. Então eles recorreram à alguns capitalistas que aplicam de forma arriscada em projetos desse tipo, e conseguiram US$ 200.000, US$ 400.000, para fazer aquele aplicativo. Por que eles preencheram o vazio, eles aleijaram a Kodak para sempre. Mas uma pessoa que está falando não deve ser o desregulador. Caso contrário, você estará interrompendo a si mesmo. Aí então veio o Instagram. Eles se tornaram os desreguladores. É esse o porque das pessoas que veem vazios são importantes.

Iamfan / Adweek
Adaptado em português por Gabriel

Clique aqui e releia o nosso post falando mais sobre a LidoKidos™!

Autor do Post
Gabriel

Comentários

1 Comentário
  1. postado por
    Rafael Santos
    jul 9, 2012

    Gostei da entrevista,will,i,am traz o futuro pro mundo,aos poucos.

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga no Instagram

Let's Get It Started, AGAIN!