Scans: will.i.am concede entrevista para Newsweek

Photobucket

will.i.am concedeu uma entrevista para a mais recente edição da revista americana Newsweek.

O cantor falou que não se considera uma celebridade e que apenas ama fazer música. Ele ainda falou um pouco sobre o The Beginning, política e pôlemicas como a do VMA do ano passado em que pintou o rosto de preto.

Clique nos thumbs abaixo e confira:

Atualizado – Confira a entrevista completa:

Você já se apresentou na Copa do mundo e na posse do Obama. Como você compara isso ao Super Bowl?

O Super Bowl é diferente. Quero dizer, é apenas um feriado americano! Meus familiares são muito fãs de futebol americano. Eu tinha um tio que jogava com L.A. Rams. Ele nunca chegou ao Super Bowl, então agora vamos poder falar que temos alguém na família que já fez algo no Super Bowl.

Você se considera uma celebridade?

Por favor, não me chame disso [risos]. A maioria dessas pessoas que são celebridades hoje em dia não fazem nada para merecer isso e, por esse motivo, eu não quero ser uma celebridade. Eu sou apenas um cara que ama música e que as pessoas gostam do que eu faço.

Você está sempre escrevendo músicas para outras pessoas. Você nunca fica sem ideias?

Eu tenho que falar que quando eu escrevi “Oh My God” pro Usher, percebi que abri mão de uma música muito boa. E eu espero que consiga fazer algo parecido pro BEP.

Você também produziu uma série de ícones. Como você diz a alguém como Bono que ele está fora de sintonia?

Eu ficava em pânico antes de ir para o estúdio, “Oh, Deus, eu estou indo curtir com o Michael Jackson por uma semana na Irlanda.” Então você vai se gabando o caminho todo, mas quando você chega lá, você tem que ser responsavel. E você tem que ser humilde, e não ficar convencido, tipo “Então você quer que eu mostre o quanto eu sou bom?? Bem, sua ideia é horrivel”. Você não pode deixar seu ego tomar conta de você.

As músicas que você trabalhou com o Micheal não estavam no CD que foi lançado. Pensando nisso, você publicaria as músicas agora?

A única coisa que foi lançada depois de três anos de trabalho juntos foram os remixes de “Thriller 25”. Todos as outras músicas que nós gravamos, não foram lançadas, e eu não acho que elas devam ser lançadas. Não é certo lançar uma música sem a palavra final dele.

O seu novo CD é o The Beginning, sendo que o CD anterior se chamava The END. Isto não é andar pra trás?

Para todo final existe um novo começo.


Qual foi o final?

O caminho em que a indústria musical anda. Agora nós estamos numa era tecnológica.

Mas o álbum tem coisas de 1980, como Dirty Dancing.

A época de 1980 foi o começo de tudo que temos agora – computadores, HD TV, a internet, etc. Mas isso também mostra que nós ainda estamos curtindo a infancia. Não importa o quanto avançado você pensa que nós somos, este é apenas o começo.

Você começou fazendo hits e comerciais. Você acha que estabeleceu um precedente para todo o sucesso que você faz hoje?


Eu fiz um comercial para um produto de cabelo, foi assim que eu terminei de pagar a casa da minha mãe. Então eu fiz um comercial para o Dr. Pepper e comprei uma nova casa para ela. Agora eu recebo mais fazendo 30 segundos de música do que fazendo 72 minutos de música, e isso me ajudou tirar a minha família dos “The Projects”
(um conjunto habitacional da periferia de Los Angeles).

Você se preocupa com a superexposição?

Se você só usa a mídia pra aparecer, talvez corra o risco da superexposição. Mas se você faz algo realmente bom, você só da as pessoas alguma coisa que elas gostam. Se sua criatividade supera a exposição, não tem nada de ruim com ela. Eu considero a exposição uma grande conexão.

Quando você começou, seu hip hop eclético surpreendeu as pessoas.

Eu nasci e cresci no gueto, amparado por programas sociais, a dois minutos de virar sem teto. I queria mudar aquilo. Eu mudei, quando disse ‘ Eu não quero me vestir com o um gangsta. Ao invés disso, eu quero ficar parecido com o MC Hammer. Quero ser como o De La Soul. Eu quero soar como Tribe Called Quest.” Eu não queria ser um cara qualquer e acabar indo pra cadeia.

Entretanto, você foi criticado por não fazer um som mais pesado.

Crime e violência seriam duas emoções fáceis de se recrear. Mas eu nunca fiz isso, e eu me orgulho disso. Eu não tive que usar dos afro-americanos nem das comunidades pobres pra crescer.


É irônico, porque você foi criticado recentemente, por pintar a cara de preto durante sua apresentação no ultimo VMA.

Hoje existe o twitter, esse fórum maravilhoso, e algumas pessoas são tão desligadas, que elas estavam criticando sobre uma tinta preta, em um homem negro “Ele fez os negros regredirem mil anos.” E eu penso o seguinte: “Porque você não twita sobre seu deputado, que não faz nada para melhorar a educação do pais e veja quanto uma educação ruim prejudica os afro americanos e os latinos, seu cabeça oca.”

Você fez uma grande campanha pelo presidente Obama em 2008. Você continua ligado à politica?

É difícil se sentir motivado. Esse negocio de vermelho vs azul, é ridículo, Vocês sãos da Crips e Bloods? (antigas gangues americanas) E o desemprego, obesidade, e pobreza?? Já que vermelho e azul juntos viram roxo, por que não uni-los, porque cientificamente falando, roxo é a luz mais rápida. Se eles se juntassem, eles seriam mais fortes e mais poderosos.

O que você gostaria que fosse feito.

Existem cinco problemas que poderiam dar um soco que derrubariam os Estados Unidos. São eles: desemprego, obesidade, diabete, falta de casa para as pessoas, e a falta de uma boa educação. Essas coisas estão estragando os Estados Unidos, e ninguém parece estar falando sobre elas! Se não tomarmos cuidado, os Estados Unidos pode se tornar um país de terceiro mundo, antes do que você imagina.

Você criou um programa de bolsas de estudo e um que ajuda pessoas não perderem suas casas.

Ter responsabilidade me da energia pra trabalhar como eu trabalho. E não é tipo “ Eu quero aparecer na US Weekly, e ser perseguidos por paparazzis no mercado.” Eu quero algo além disso. Eu não estou tentando ser a Unicef. Mas eu tenho como fazer isso agora, então eu faço.

Fora do estúdio, você anda com pessoas meio diferentes.

Eu gosto de ciência e tecnologia. É criativo, como música, então eu gosto de estar perto de pessoas dessas áreas – sendo ele Dean Kamen ( o inventor do Segway) ou Brian Dunn [CEO] da Best Buy. Eles me dão uma visão de futuro. Por exemplo, eu estou no estúdio e eu digo ‘Não, não podemos fazer isso’ Aí alguém diz: ‘Porque não?”. E eu digo “Por que eu dei uma espiada no futuro, e isso não funcionará.”

Como é seu relacionamento com a Fergie? Sempre existem rumores sobre uma possível separação.

Seria impossível nós nos separarmos. A nossa ligação é muito forte, nós não nos separamos até agora, e não nos separaremos.

Autor do Post
PortalBEP

Comentários

5 Comentários
  1. postado por
    Bep.Padre
    jan 5, 2011

    Uhul FERGIE é isso aew ! o Will mereçe !

    Will , continua assim benhê <3 BEP i love you '-'

  2. postado por
    Jonathan bahia
    jan 5, 2011

    Aeee gostei gostei

  3. postado por
    josé
    jan 5, 2011

    Quanto à separação de Fergie e BEP, concordo com will. BEP é fergie e fergie é BEP. Trabalhos solos à parte podem ter e serão muito bem vindos. Más acho que os 4 são insolúveis (adj).

  4. postado por
    Sayure Ferg’s- Ninguem o BEP mais do que eu
    jan 6, 2011

    Perfeiito!
    Adorooo ler que os Peas não irão se separar!*_*
    Will eh o caraaa!
    Fala super bem em poucas palavras!
    Ahazaaa!!!”
    Alem de tudo é modesto! huu
    Adoroooo’
    Will Lindoooo amuuh’ d+!
    I Love BEP forever and no one love more than me!
    XOXOXO Peabodies!;-)

  5. postado por
    @vick_bep
    jan 8, 2011

    é isso ai Will,Apl,Taboo,Fergie unidos 4ever!!! BEP FOREVER I LOVE YOU

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga no Instagram

Let's Get It Started, AGAIN!