Fergie diz que queria ser anônima em alguns momentos

http://i116.photobucket.com/albums/o26/PortalBEP/30_fergieshoews.jpg

Fergie, estrela do Black Eyed Peas, contou em entrevista ao Daily Record que demorou para se acostumar com a fama, mas admite que ainda luta para lidar com a atenção constante.

Mesmo sendo muito famosa, a cantora admite que existem horas que ela queria ser uma anônima. Na verdade, ela desejaria estar no meio da multidão do T in The Park (festival na Escócia que irá rolar hoje com performace do BEP e outros) hoje a noite, ao invés de cantar no palco.

“Quando você é pequena, claro que você quer ser famoso. Tem tempos agora que eu amaria estar na multidão. Adoraria ir vêr shows e sentar no meio do povo. Essa é uma das coisas que eu mais sinto falta, apenas vêr as pessoas sem que elas fiquem me olhando.”

“Eu entendo que tudo isso é por conta do meu trabalho e eu não trocaria, mas, existem várias vezes que queria ser apenas uma na multidão.”

Embora agora ela viva a vida luxuosa de uma estrela pop, cruzando todo o mundo em transportes de luxo e cercada de pessoas que fazem todos seus caprichos, nem sempre tudo foi coisa boa para Fergie. Antes de se tornar uma cantora famosa e até atriz, ela já ficou sem casa e combateu o vício das drogas.

Ela disse: “Voar em um jatinho privado é muito encantador e me lembro da primeira vez que fizemos isso  [o Black Eyed Peas]. Estavamos muito animados porque eles falaram que podiamos pedir o que quiséssemos comer, então ficamos loucos e pedimos lagosta, camarão, caranguejo, arroz, bife.”

“Nós não pagamos nada por isso. Quando estamos juntos, podemos comer muito. Mas eu sei o que é não ter dinheiro.”

“Tive que voltar para casa da minha mãe e procurar um emprego porque tinha gastado todo o dinheiro que tinha ganho como atriz quando criança – então, eu já fiquei com muito e pouco dinheiro. Eu aprecio o valor dele.”

Naturalmente todos os problemas vividos por ela refletiu em algumas músicas que podem ser ouvidas em seu CD solo, The Dutchess.

“Lá tem muito mais sobre eu e minha vida pessoal, porque muitas vezes eu não acho apropriado colocar tudo isso nos álbuns dos Peas, porque é sobre um grupo, então eu não quero me aprofundar [em mim]. Acho que tenho sido bastante aberta. Não sei se sou uma boa pessoa para falar sobre isso. Sou só uma pessoa honesta e aceito quem eu sou e escrevo sobre isso.”

“Escrever é como uma terapia para mim. Estou sempre me sentindo confortável com isso. É muito íntimo. Geralmente sempre acabo falando sobre drogas. Muitas pessoas falam para mim sobre isso. Eu tenho falado muito. Eu não vejo porque não [falar]. Não é que eu esteja promovendo drogas, eu estou falando o contrário. Talvez vá ajudar alguém.”

E perguntada sobre família e crianças, ela é categórica: “Agora é tudo Black Eyed Peas e não há espaço para ter um bebê. E mesmo que eu queira engravidar, não tem como eu performar e dançar no palco grávida, eu iria me sentir muito culpada.”

“Gwen Stefani é inspiradora. É muito interessante hoje vêr como essas mulheres tem carreiras – como Jennifer Lopez tem uma carreira mas também têm bebês, então acho que é uma balança. Definitivamente, quando eu ter filhos, eles serão minha prioridade.”

Autor do Post
Renato Cavalcanti

Comentários

2 Comentários
  1. postado por
    DANIELLE
    jul 9, 2010

    Adorei!!!!!!

  2. postado por
    Caroll Bep
    jul 10, 2010

    simplicidade e humildade,é o q posso definir 🙂

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga no Instagram

Let's Get It Started, AGAIN!