Entrevista dos Peas para “The Big Issue”

http://i116.photobucket.com/albums/o26/PortalBEP/14_end.jpg

Os Peas sairam recentemente na revista britânica The Big Issue – eles falaram de seus projetos futuros (incluindo um novo álbum e um “filme-documentário” em 3D), engajamento social, relembram seu passado e falaram até sobre a cantora Cheryl Cole, que abriu os shows na turnê européia. Você confere a entrevista completa traduzida abaixo:

Peas no Nosso Tempo

Dos seus sucessos ganhadores de prêmios, ocupantes dos topos das paradas a sendo consultores empresariais e estrelas de filme em 3D, os Black Eyed Peas foram grandiosamente bem sucedidos. Mas, como ouviu Hattie Collins, eles estão ansiosos para compartilhar o amor.

Considerando que faltam aproximadamente 25 minutos para a hora do show na O2 Arena, em Londres, você deve imaginar que os Black Eyed Peas têm coisas melhores a fazer do que conversar sobre trabalhos de caridade, festas e Cheryl Cole. Contudo, o quarteto modesto está aparentemente muito feliz em dissecar seu sucesso e planos para o futuro em vez de ficar escolhendo M&M’s azuis ou relaxando num camarim exageradamente perfumado.

“Bem agora nós estamos trabalhando em um novo álbum e fazendo um filme em 3D. É ao mesmo tempo um documentário da turnê e um filme de ficção, dirigido por James Cameron.” anuncia informalmente will.i.am, um sorriso torto dando a mais leve pista de que na verdade está consciente de o quão grande isso é. Para o líder dos Peas, a oportunidade de navegar mares da criatividade anteriormente inexplorados é um desafio do qual ele sente prazer. “Vai ser emocionante. É um documentário com ficção inserido nele; fantasia. Como você consegue colocar fantasia, documentário e uma turnê tudo em uma experiência 3D? Isso nos permite ter um novo ângulo. Tipo, ‘Senhoras e senhores, vocês gostaram do nosso ‘majigidabob’ da última vez, então confiram este ‘wallmidiacut’.” diz Will, que é aparentemente bem afeiçoado por substituição de palavras reais por palavras inventadas.

“Tipo, o ‘wallmidiacut’ é uma coisa completamente nova e excitante; isto nos permite a reentrar com algo diferente. Eu vim de Londres há uns anos e eu estava tipo…” – ele começa um beatbox enérgico – “… tão inspirado pela cultura DJ e a vida nas boates. Por causa disso, nós entramos nessa experiência dance totalmente nova do Black Eyed Peas e tem sido ótima; nosso maior trabalho até agora. Mas, e agora, o que vem depois? E uma parceria com aquele cara? James Cameron? Isso é emocionante.”

O fato de que os Peas estão fazendo algo diferente não é uma grande surpresa. Esta é a banda que começou 15 anos atrás como um trio socialmente consciente gozando de samples de jazz infundido. Eles trocaram o som e o arranjo, pelo Elephunk de 2003, que teve Fergie se juntando a eles em Shut Up e, com ajuda de Justin Timberlake, o hino de câmeras-celulares-no-ar, Where Is The Love? Eles tiveram sucessos em primeiro lugar em todo o mundo, ganharam Grammies, venderam mais de 27 milhões de álbuns e representaram tudo, de refrigerantes a softwares.

O trabalho mais recente deles, The E.N.D [Energy Never Dies] viu outra mudança; dessa vez os Peas entraram no mundo das boates com grandes hits como Boom Boom Pow e o produzido por David Guetta I Gotta Feeling, uma música que continua nas listas de festas de bebedeiras em todo o mundo.

“O que acontece com a gente é que nós gostamos de nos divertir no estúdio, mas nós nunca imaginamos quanto sucesso essas músicas fariam. Você nunca sabe o que isso vai virar; nós só vamos lá, gravamos e nos sentimos bem com isso por nós mesmos” diz Taboo, dando um gole num shake de proteína de aparência nojenta. “Você faz o que gosta e espera que todo mundo goste disso também.” concorda Fergie.

O álbum foi gravado em Los Angeles e Londres, um lugar que quase virou uma segunda casa para o quarteto. “O Reino Unido foi o primeiro país que nos recebeu de verdade, então nós nos sentimos em casa aqui.” diz Apl, enquanto Fergie concorda com a cabeça. “Eu estava gravando o filme Nine e os garotos estavam felizes por entrar no avião e reacender nossa chama no Metropolis Studios, no parte oeste de Londres.” ela diz.

O grupo também gravou seu quarto álbum, Monkey Business de 2005, no Reino Unido. “Nós moramos aqui por três meses. Eu Tab, Apl e Will todos moramos juntos.” Fergie recorda. “Will ia ao estúdio primeiro, depois nós acordávamos e Apl fazia o café da manhã. Nós colocávamos música, nós três entrávamos numa vibe e depois íamos direto para o estúdio para nos juntar ao Will.”

Enquanto a divisão de um apartamento parece uma parte distante do passado, nem sempre tudo foi de vento em popa para os Peas; eles continuariam a crescer exponencial e comercialmente, mas na crítica eles receberam algumas críticas destrutivas. Dependendo do seu ponto de vista, My Humps, por exemplo, é ou a melhor música já escrita, ou a pior. “Tem sido uma progressão natural; é sempre sobre pelo que nós somos influenciados. Eu não sei como nos categorizar – nós evoluímos e vamos com o que temos vontade.” Apl destaca suas várias reinvenções musicais. Mesmo enquanto eles contam seus milhões, eles realmente se importam se pessoas gostam deles ou os detestam? Ombros encolhidos, todavia Apl admite que isso o incomoda sim. “Eu pessoalmente não gosto de ler essas coisas porque isso perturba minha cabeça, então eu não presto atenção nisso.”

Apesar de grande parte dos holofotes caírem sobre Will e Fergie, Tabbo e Apl integram o grupo também, particularmente durante o excessivamente enérgico show. Todos os quatro têm seu interesses paralelamente aos Peas; Fergie curtiu o sucesso com seu álbum solo The Dutchess, e esculpiu sua carreira como atriz, assim como fez o fanático por artes marciais Taboo, com participações em filmes como Street Fighter. Apl, enquanto isso, como Will é DJ e produtor, o que inclui Kelis entre suas coloaborações.

É justo dizer, porém, que Will atrai o maior holofote; ele é o criador do site de rede social Dipdive (“como Twitter com esteróides”), um consultor de grandes empresas como a Blackberry, é um ativista político engajado, e apareceu em filmes incluindo X-Men Origens: Wolverine. Como produtor ele criou hits pra todos de U2 a Michael Jackson.

A parceria que chama mais atenção agora no mundo dos tablóides é obviamente com Cheryl Cole. will.i.am está atualmente, se não necessariamente aproveitando, então com certeza agüentando, a maior atenção dos tablóides como nunca. Talvez tenha a ver, parcialmente, com o domínio extremo do Black Eyed Peas nas pistas de dança em todo o mundo, mas, sejamos honestos, também tem um pouquinho a ver com a bonequinha e garota de ouro n° 1 do Reino Unido, Cheryl.

Enquanto os tablóides estão numa confusão de ‘eles estão ou não’, Will não parece impressionado pelas especulações, soltando o nome dela casualmente várias vezes durante a conversa. “Ela é demais, eu gosto de trabalhar com ela. Nós conversamos sobre os trabalhos do seu próximo álbum e ainda a assinamos no selo da América.” ele revela, se referindo ao seu selo will.i.am Music Group, que ainda abriga Kelis, Fergie, LMFAO e a novata Natalia Kills.

Como ele prevê o trabalho de Cole nos EUA? Os americanos estão prontos para a princesa do pop britânica? “Nós estamos resolvendo como fazer isso nos Estados Unidos. Tem que ser algo incrível feito de um jeito muito diferente.” Will aparentemente não é o único que tem olhos para Chezza; no dia em que nos encontramos, Fergie está espalhada pelos tablóides com ‘uma fonte próxima a estrela’ dizendo que ela acha que tem maior chance de ir pra cama com Cheryl do que Will. “Eu ouvi isso, não é verdade mesmo.” diz Fergie, caindo na gargalhada. “Cheryl é uma garota adorável. Nós tivemos os melhores momentos na turnê, saindo depois do show e indo a festas.”

Apesar de realmente amarem uma festa – “A noite mais louca? Têm muitas pra contar.” Fergie gargalha – os quatro têm um lado sério também. Peapod é um projeto caridoso que eles criaram em 1999 para crianças menos privilegiadas na Califórnia. “Começou como um arrecadador de fundos para um orfanato local em Pasadena, e foi inspirado pela vida do Apl.” diz Will. “Ele foi adotado das Filipinas e a fundação cresceu até o que é agora, que é uma academia onde nós damos ferramentas para crianças do centro da cidade e jovens pessoas para a arte, mídia, filme e música.”

Apl também tem uma instituição de caridade com base nas Filipinas, Apl Foundation: “Pelo motivo de eu ter sido adotado criança, eu apadrinho 100 crianças e as coloco na escola. Eu me mantenho informado de como elas estão indo por cartas e também vou pra casa pelo menos uma vez por ano.” Will também recentemente anunciou na Oprah seu novo projeto, i.am.home, para ajudar aqueles que têm risco de perder seus lares, enquanto Taboo planeja se envolver com a nova lei de fichamento racial recentemente aprovada no Arizona. “Eles agora podem abordar qualquer um que pareça mexicano-americano ter passado da fronteira.” ele diz. “Como um mexicano-americano que cresceu em Los Angeles, eu sinto como se tivesse a voz de milhões de pessoas agora. Eu posso não estar a todo vapor em termos de campanha, mas eu posso fazer a minha parte e fazer minha voz ser ouvida, dizendo que isso não está certo.”

É hora do show e os Peas têm que vazar (desculpe). Com The E.N.D, eles conseguiram converter até o mais ardente anti-Peas. A multidão na O2 de Londres parece o sonho de um pesquisador de mercado: de crianças pequenas a casais, grupos de garotas sozinhas, caras gays e jovens na moda pulam juntos entusiasticamente durante o show de duas horas, que tem Taboo suspenso no palco em cima de uma moto e Will fazendo rap freestyle de mensagens enviadas pela multidão.

Para Will, a arena ao vivo é completa; é onde o futuro existe não só com os Peas, mas com a indústria da música em geral. “Ao vivo é o novo negócio. Sempre foi, mas do ponto de vista de uma gravadora eles vão querer alimentar e compensar em shows ao vivo dos artistas e turnê e propaganda.” ele resolve. “Esperançosamente terá uma parada de músicas ao vivo e uma parada de músicas comerciais, porque não deveria haver somente singles n° 1. O preço bruto que deveria ser trazido da propaganda e das turnês. Eu acho que essa vai ser a força motriz.”

O sucesso deles é indiscutível, suas realizações menos ainda. Para os Peas, porém, o ponto alto foi a aparição na Oprah. “Nós fechamos a rua e um flashmob de 20.000 pessoas fez um Boom Boom Pow na rotina. Esse foi o momento ‘Que p***a é essa’ mais memorável. Tipo, ’Nós estávamos na Oprah? ’” ri Will. “E depois, foi uma coisa depois da outra, só cresceu, o que é legal, mas uma drenagem depois porque eu nunca estive tão cansado. É assustador porque agora, o que fazer a seguir.” diz Will, de repente parecendo exausto. “Nós demos a música uma grande festa.” resolve Taboo. “E o que quer que aconteça, nós não planejamos parar de fazer isso.”

Via: BlackEyedPeas.com.br

Autor do Post
Renato Cavalcanti

Comentários

4 Comentários
  1. postado por
    katyanne
    jun 20, 2010

    own amei perfeita entreviata, love Peas ♥

  2. postado por
    Jeroan
    jun 20, 2010

    Muito bom mesmo essa entrevista
    OMG tô muito doido, maluco, pirado …
    quero muito esse documentario vai ser show.
    😀

  3. postado por
    kelvin
    jun 21, 2010

    Putz o Bep ja e perfeito cantando imagina num filme e melhor ainda em 3D nuss será perfeito e tipo eu assisti os dois filme em q a fergie fez partipação o Poseidom e o NINE muito fera ela fico no Nine ameeeei de mais !!!!
    agora esse vai fik melhor ainda
    TE AMOOO BEP!

  4. postado por
    Sayure Ferg’s- Ninguém AMA o BEP mais do que eu!=)
    jun 23, 2010

    Kraaaaaaa filme 3D?
    além de serem Perfeitos ainda atendem aos pedidos de fãs!
    Eu já vi esse pedido em site dos Peas,até eu mesma já sugeri isso uma vez no DipDive no lançamento de Imma Be Rocking That Body y agora leio isso!
    P***a,meoo!
    isso é um sonho!
    imagina só a emoção de ter um filme em 3D dos Peas em kza?
    putz!
    nem sei o que dizer!
    A entrevista,como sempre neh,foi um arraso!
    Mostrando mais uma vez que para os Peas acima de seu estrondoso sucesso,está a humildade y o amor ao próximo!*_*
    Isso é exemplo de vidaa!
    A kda vez que leio uma entrevista dos Peas sinto-me infinitas vezes mais orgulhosa de ser uma Peabody!Eu sempre repito isso!Y que ótimo que sempre posso estar repetindo isso!
    Black Eyed Peas é tuuuudo!
    Perco até as palavras de emoção!:'(

    I Love BEP forever and no one love more than me!=D

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga no Instagram

Let's Get It Started, AGAIN!