Entrevista do Taboo ao Charlotte Observer

tab

Um pouco antes da passagem do Black Eyed Peas em Charlotte na semana passada, o Taboo foi entrevistado por telefone pelo site Charlotte Observer. O rapper falou sobre o Black Eyed Peas e seu papel na banda, confira a tradução da entrevista “Não há nada como uma festa de Peas” abaixo:

No mundo do Black Eyed Peas, Stacy “Fergie” Ferguson é a rainha do glamour do grupo, William ‘will.i.am”Adams é o visionário pop e Jaime” Taboo” Gomez é … bem, isso não é totalmente claro. Várias temporadas atrás, o “Saturday Night Live” evocou a escuridão de seu papel com uma sátira que o chamou de “aquele cara estranho e assustador” do Peas.

No entanto, Gomez tem sido um elemento-chave de um dos grupos mais bem sucedidos da década passada. Numa época em que a popularidade em larga escala é mais difícil do que nunca de alcançar, os Peas permanecem orgulhosamente como uns dos grupos de pop stars mais simples que existe.

Mal acabaram de alcançar mais uma estrela no mês passado no Grammys, o grupo está de volta na estrada. Conversamos com Gomez por telefone direto da sua casa em Los Angeles.

P: Então, qual é o seu papel no Peas? O que você acrescenta ao grupo?

Nós somos todos grandes performers, mas o que eu trago é o fator de entretenimento. Se as pessoas estão sentadas, eu sou sempre o cara que vai buscá-los a saltar para cima e para baixo – mesmo se eu tiver que ir para o público para fazê-lo. Eu levo a performance para um nível mais alto. Eu não tenho o dom de ser um superstar como a Fergie ou um gênio como o will.i.am, mas eu tenho o dom de fazer a performance. Eu sou como Dennis Rodman do Bulls.

P: Como é estar na estrada?

É ótimo. Desde 93, nós tínhamos o sonho de poder viajar o mundo e nos apresentarmos em diferentes lugares. E ter o nosso quinto álbum como o nosso mais bem-sucedido – visitar a “Oprah”, ficar 26 semanas no número 1, ganhar mais três Grammys … é uma sensação de sonho. Pessoalmente, eu sou grato por poder compartilhar experiências tão maravilhosas com os meus melhores amigos. Nós vivemos em ônibus e em hotéis, e nos acostumamos a isso, pois fazemos turnês desde 1998. A parte difícil é deixar a minha família. Eu me casei em 2008 e tenho dois filhos – um de 16 anos e outro de 6 meses de idade – e sair é difícil para mim. Mas nós temos uma missão, e o papai aqui tem que trazer o dinheiro.

P: O “The End” do ano passado é o último álbum do Black Eyed Peas?

Quando a Fergie fez seu álbum solo, houve muita especulação de que o Black Eyed Peas ia se romper por causa de seu sucesso. Nós líamos estes artigos sobre “o fim do Black Eyed Peas, o início da Dutchess.” Então, nós nos divertíamos com isso, e estávamos decididos a gozar com esse tipo de notícia. Também é um acrônimo para “Energy Never Dies”. Porque não importa o que você pensa, ele nunca morre. Quando Fergie e will.i.am fazem suas próprias coisas sempre representam a marca Black Eyed Peas, mesmo que cada integrante tenha sua marca individual. Estamos sempre olhando para isso como um veículo de parceria.

P: Fale sobre seu álbum solo

O que aconteceu foi que todos da gravadora estavam realmente querendo um novo álbum do Black Eyed Peas. Assim, todos os projetos individuais foram suspensos. Eu quero que a indústria trabalhe para o meu projeto solo. Eu poderia ter sido rebelde e dito que não, que queria que ele fosse lançado imediatamente. Mas aí, eu poderia ter sido atacado ou colocado na prateleira, não obtendo o mesmo ‘empurrão’ que tem o Black Eyed Peas. Então, optei por esperar até depois do “The E.N.D.”

Eu sei que a dinâmica do Black Eyed Peas vai permitir-nos fazer nossos projetos individuais, então está tudo OK. Meu primeiro single solo será lançado provavelmente no próximo ano. Mas eu estou tão focado no Black Eyed Peas agora porque ele é monstruoso. O projeto solo parece tão longe de mim porque é muito divertido estar no Black Eyed Peas.

P: Como é que vocês aparecem com essas músicas que se tornam grandes hits?

Isso faz parte da forma como o fazemos. Nós chegamos a esse estilo ao ouvir Bob Marley, Leaders of the New School, Busta Rhymes, Tribe Called Quest e Michael Jackson, todos os seus cantos. Eles têm grandes precursores, ou ganchos. Assim, procuramos escrever batidões e isso se torna coisa nossa, se tornam tão infecciosas e impossível de sair da sua cabeça.

P: Isso soa como o Village People.

(Rindo): Eu prefiro dizer Queen. Também vamos fazer como em “We Will Rock You”.

Via: BlackEyedPeas.com.br

Autor do Post
Renato Cavalcanti

Comentários

1 Comentário
  1. postado por
    WEIDY MARIE
    abr 19, 2010

    AMEI PODER LER UMA ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O TABOO!!
    AMO TODOS DA BANDA + EM ESPECIAL ADMIRO DEMAIS O TABOO E SOU SUA FÃ N°1….
    NADA VÊ ESSA ONDA Q ELE É O CARA FEIO DA BANDA E Q ELE Ñ É IMPORTANTE,POIS TODOS DO BLACK EYED PEAS SÃO IMPORTANTES E CADA UM DELES TEM SEU PAPEL FUNDAMENTAL E ESPECIAL NA BANDA…SE DEIXASSE DE TER QUALQUER 1 DELES NA BANDA,O BLACK EYED PEAS NÃO SERIA O MESMO….
    AMO TODOS DO BLACK EYED PEAS E CONCERTEZA TODOS SÃO ESPECIAIS,NADA DE EXCLUIR ALGUM DELES….
    DOLLO MUITOOOOOOOOOOOOO O TABOO 🙂

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga no Instagram

Let's Get It Started, AGAIN!