Entrevista de Fergie para Folhateen

http://i116.photobucket.com/albums/o26/PortalBEP/73_fergie.jpg

Confira essa super entrevista que a Folhateen de hoje do jornal Folha de São Paulo, fez com Fergie onde ela fala novamente da vinda do BEP ao nosso país e muitas curiosidades:

Folhateen – Você está surpresa com a repercussão de “The E.N.D.”?
Fergie – Achávamos que Boom Boom Pow seria uma grande música para boate. Mas não sabíamos se ela iria tão bem como foi. Nos nunca sabemos como o as pessoas vão reagir. Então estamos curtindo bastante esse momento.

Como é voltar a tocar com o Black Eyed Peas depois de sua carreira solo ter dado tão certo? Se sente mais confiante?
Quando nos vemos, somos velhos amigos, então é sempre bom trabalhar com eles. Quanto a mim, acho que é o mesmo.

E quando vocês vêm ao Brasil?
Vamos fazer uma grande turnê e, definitivamente, temos que ir para o Brasil. Acho que vamos para a América do Sul no fim desse ano ou no começo do próximo.

Temos visto você aqui no Brasil em um comercial de TV, e no final você solta uma frase em português. Você fala algo do nosso idioma?
Eu não falo nada em português. Eles me falaram o que tinha que dizer em português e tentei copiar o sotaque o melhor possível. Como eu me saí? Fiquei com sotaque americano?

Sim. O suficiente para percebê-lo, mas bem pouco… Quantas vezes você veio ao Brasil?
Estivemos pelo menos três vezes no Brasil. Mas sempre com meio dia ou um dia livre, apenas.

O que você pretende fazer em sua próxima visita ao Brasil?
Desta vez quero ir a uma boate. É o que vamos fazer nessa turnê: quando tivermos um dia livre, a noite anterior será para dançar.

Já sabe aonde ir?
Não… Vamos ver o que vai rolar quando chegarmos aí. Os garotos sempre vêm com alguma ideia. Apl e will querem discotecar em algum lugar.

Você gostaria de gravar mais alguma música brasileira?
Talvez. Antes de gravar “Mas, que Nada”, ouvi o estilo de algumas cantoras brasileiras. Acho interessante que elas não usam tanto vibrato. Aqui elas fazem ahhhh (Fergie canta uma nota longa, fazendo-a vibrar, como as cantoras americanas costumam fazer e como amadores imitam bastante mal no “American Idol”). No Brasil elas fazem mais ahhhhhh (Fergie faz outra nota longa, sustentando-a por mais tempo, com um “vibrato” menos intenso, no final da nota).

E você tem ouvido algo do Brasil ultimamente?
Não… Tenho ouvido mais electro ultimamente, que é o que inspirou o álbum.

E você conhece algo da cena electro brasileira?
Não conheço nada.

Soube que Justin Timberlake comentou a cena electro brasileira em seu blog?
Não. Sobre quem ele falou?

CSS… Bonde do Role…
CSS já ouvi falar do nome, mas vou checar o que é. Que som eles tocam? Você poderia me mandar o nome depois?

Claro. Você poderia nos contar como foi participar de “Nine” (filme musical com estreia prevista para o fim do ano, inspirado no filme 8 e ½, do cineasta italiano Federico Fellini)?
Foi inacreditável. Foi como se eu completasse um ciclo na minha vida, porque assistir musicais foi a primeira coisa que me inspirou a entrar para o mundo do entretenimento. E estar agora num musical com todas essas pessoas é uma honra.

Sua personagem inicia a vida sexual de Guido, o protagonista, mas você contracena com Daniel Day-Lewis, que interpreta o personagem na fase adulta?
Sim. Trabalhamos todos juntos em cenas do começo e do final. Foi uma benção e uma honra trabalhar com essas pessoas que estão no topo do seu jogo. Lewis… Sophia Loren, Penélope Cruz… Foi uma honra.

Autor do Post
Renato Cavalcanti

Deixe seu Comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga no Instagram

Let's Get It Started, AGAIN!